Juíza dos EUA compara Trump ao rei persa Ciro e fala em cumprimento de profecias
16/05/2018 - 17h35 em Novidades

A transferência da embaixada americana em Israel para a cidade de Jerusalém é o cumprimento de profecias bíblicas, segundo uma juíza e apresentadora de TV dos Estados Unidos.

O ponto de vista da juíza aposentada Jeanine Pirro, que apresenta um programa de notícias na emissora Fox News, é que os países reconheceriam Jerusalém como capital eterna de Israel.

″Donald Trump reconheceu a história que ele, como o rei Ciro antes dele, cumpriu a profecia bíblica dos deuses adorados por judeus, cristãos e, sim, muçulmanos, que Jerusalém é a capital eterna do Estado judeu e que o povo judeu finalmente merece um Israel, justo, livre e soberano”, disse Pirro.

As declarações da juíza foram feitas em um artigo escrito no último final de semana, às vésperas da inauguração da embaixada em Jerusalém, momento que descreveu como “verdadeiramente histórico para Israel”, segundo informações da emissora Christian Broadcasting Network (CBN).

Pirro disse que a decisão de Trump é um recado claro enviado a Israel e ao resto do mundo: “Trump assegurou ao mundo que sua palavra vale mais que as dos ex-presidentes dos EUA, como Bill Clinton, George W. Bush e Obama, todos os quais prometeram levar a embaixada americana a Jerusalém”, mas não cumpriram.

“Sua palavra vale mais do que qualquer tratado e mais forte que qualquer resolução da ONU. Ele prometeu e cumpriu”, reiterou a juíza aposentada.

Rei Ciro

A comparação de Trump como o rei Ciro também foi feita pelo primeiro-ministro de Israel durante sua visita à Casa Branca no início de março. Na ocasião, ele recapitulou o conceito da tradição judaica que enxerga o monarca pagão como uma ferramenta de Deus para ajudar o povo hebreu a retornar a Israel após o exílio na Babilônia e reconstruírem o Templo de Jerusalém.

“Isto é o que Ciro, rei da Pérsia diz: ‘O Senhor, o Deus do céu, me deu todos os reinos da terra e Ele me designou para construir um templo para ele em Jerusalém em Judá. Qualquer um dentre o seu povo pode subir e que o Senhor, o seu Deus, esteja com eles” -II Crônicas 36:23

“Quero dizer-lhes que o povo judeu tem uma longa memória, por isso nos lembramos da proclamação de ‘Ciro, o Grande’, o rei persa, há 2.500 anos”, disse Netanyahu na ocasião.

“Ele proclamou que os exilados judeus na Babilônia poderiam voltar e reconstruir nosso Templo em Jerusalém. Lembramos há cem anos, lorde Balfour, que emitiu a Proclamação Balfour, reconhecendo os direitos do povo judeu em nossa pátria ancestral. Nós nos lembramos de 70 anos atrás, quando o presidente Harry S. Truman foi o primeiro líder a reconhecer o Estado judeu e lembramos como há algumas semanas, o presidente Donald J. Trump reconheceu Jerusalém como a capital de Israel. Sr. Presidente, isso será lembrado por nosso povo através das eras”, salientou o primeiro-ministro.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
google