“Judeus e cristãos precisam se unir” contra o isolamento de Israel no mundo, alerta Rabino
10/10/2018 23:32 em Novidades

Desde 2005, todo primeiro domingo de outubro é comemorado em Israel o Dia de Oração pela Paz de Jerusalém, um evento que visa unir judeus e cristãos em prol da paz no país que é o berço das duas maiores religiões do planeta. Esse ano, além do objetivo principal pela paz, também foi destacado a importância da união em defesa de Israel.

“Jerusalém é a raiz da nossa fé. Jerusalém, em certo sentido, é a cidade do nosso nascimento espiritual e da nossa esperança espiritual”, disse Robert Stearns, fundador e diretor executivo do “Eagles’ Wings Ministry” e principal organizador do evento.

“Acreditamos que esta é a cidade onde o governo de Deus se estabelecerá e reinará sobre as nações e tem que tomar parte na preparação do caminho do Senhor para a Sua presença nesta cidade”, destaca ele.

Josh Reinstein, diretor do Caucus dos Aliados Cristãos do Knesset, disse que a importância de Israel, especificamente Jerusalém, para cristãos e judeus é tamanha que isso deve ser ensinado com a devida relevância. Sem dúvida isso vale para o mundo inteiro, o que explica o motivo pelo qual os dois povos sempre foram perseguidos.

“Orem pela paz de Jerusalém, porque Ele [Deus] sempre quer que levemos a questão de Jerusalém e a mantenhamos perto do nosso coração. Ele quer que pensemos em Jerusalém. Ele quer que ensinemos aos nossos filhos sobre Jerusalém e por isso levamos essa causa muito a sério”, disse ele, segundo a CBN News.

Para o pastor Joe Green muitas igrejas cristãs esqueceram da importância de Israel para o mundo e qual é o nosso lugar, enquanto cristãos, em seu papel nos dias de hoje. Ele citou o contexto americano como exemplo:

“Precisamos entender que estamos inseridos neste lugar incrível chamado Israel, mas igrejas cristãs de toda a América se esqueceram isso”, disse ele. “O que nós queremos fazer é trazer à consciência sobre quem realmente somos”.

“Nós não existimos sem o povo judeu ou o Estado judeu. Nós não estaríamos por perto. Jesus era um judeu. Todos os apóstolos eram judeus e então nosso objetivo é de alguma forma nos trazer de volta ao cristianismo bíblico”, explica o pastor, ressaltando a importância do vínculo com Israel.

Momento de união

Para Michael Oren, membro do Knesset (parlamento de Israel), a união entre judeus e cristãos contra a tentativa dos órgãos internacionais em desvincular nossa ligação é fundamental.

“Há muitos organismos internacionais que negam a conexão judaica a esta cidade — nossa história comum, nossas tradições comuns — e nós temos que nos unir. É a mesma história, e qualquer um que negasse que havia um templo judeu lá em cima está negando a Jesus”, disse ele.

O pensamento de Oren foi reforçado pelo rabino David Nekrutman, do Centro de Entendimento e Cooperação Judaico-Cristão. Ele disse que por conta do ativismo internacional contra Israel, até mesmo os cristãos se voltam contra o país, o que é um erro.

“Mais do que em qualquer outro momento da história, judeus e cristãos precisam se unir porque o mundo não apenas isola Israel no Estado, mas até mesmo os movimentos do cristianismo estão isolando Israel no cenário mundial”, disse ele.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE